Moradia RD

      A arquitetura e o natural estão infinitamente interligados.

      A topografia natural da Serra de Sintra que se reflete a sul, bem como a ondulação marcada da Praia da Aguda, a Norte, proporcionam um ritmo constante. Este ritmo tão natural e marcante, submete-nos à recriação de uma mímica do espaço que o envolve, criando assim uma interação directa com a natureza.

      É pensada uma estrutura que reaja ao lugar por surgir, delicadamente, uma massa construtiva que se liga ao natural com um contorno quase metamorfótico.

       No seu interior é apresentado um compasso de cheios e vazios, de fluidez e pausa, como se do meio natural se tratasse.

      Pequenos pátios se afirmam pelos vazios criados.

      A iluminação é atraída para o espaço através de um sistema de janelas na cobertura, criando constante movimento, bem como através de pequenos pátios interiores, que criam um jogo de luz e sombra, permitindo ao espaço interior um pleno dinamismo.

      Os materiais escolhidos remetem para a combinação entre o construtivo e o natural.

      Através da ênfase da horizontalidade, os pátios cobertos, reforçam, sensorialmente, a relação orgânica com o sítio.

      O uso do betão no pavimento permite um reflexo da natureza do exterior para o interior. As portas de correr mesclam a ligação entre interior e exterior, permitindo assim o controlo do fluxo de ar no seu interior.

      Ao utilizar estes métodos arquitetónicos, a obra transforma-se num receptáculo que cria a ligação entre o mundo criado e o mundo natural.

  • Localização

    Sintra, Portugal

  • Área

    247.70 m2

  • Serviços

    Arquitectura, Engenharia