Moradia PA

      Entre um pinhal de características únicas, denso e consolidado, a proposta possui duas formas retangulares transversais ao lote permitindo um diálogo fluido com a envolvente. O volume alongado inferior cria um encaixe na topografia existente, onde o seu revestimento em pedra, acompanha a tonalidade da matéria existente e cria um efeito visual de pertença.

     A fachada abre-se gentilmente para o espaço exterior, unindo o natural ao construído, formando assim uma relação holística entre ambos.

O piso superior, assente num corpo de pedra, possui um revestimento claro e liso. É criada uma ligação dramática onde o corpo superior cria a ilusão de estar assente apenas no terreno natural.

      Com uma organização simples e funcional, a casa permite adaptação e uma ampla e livre circulação.

      No piso base, desenvolve-se a zona social da habitação, tanto exterior como interior.

      No piso superior, rompendo com o ambiente vivido no piso inferior, encontram-se os quartos.

      No ato de separar e sobrepor é criada tensão na arquitectura, permitindo assim uma dureza espacial ao mesmo tempo que é oferecida fluidez e elevação. Oferece solidez e conexão com o meio, assim como o sentimento, tanto de pertença como de afastamento às forças humanas dos seus habitantes.

  • Localização

    Almada, Portugal

  • Área

    296.50 m2

  • Serviços

    Arquitectura, Engenharia