Résidences Benelux

      Procurada por muitas familias jovens que pretendem viver num meio urbano mas que todavia possam usufruir do espaço natural, Esch-zur-Alzette é uma cidade densamente povoada, com um ambiente cosmopolita e urbano. O lote encontra-se junto a um pequeno largo, que cria um momento de pausa no ritmo da longa Rue de Belvaux.
      A premissa para este projecto foi de criar duas experiências diferentes de vivência do espaço. Uma que se adapte a uma procura mais urbana e outra que permita a co-existencia de um ambiente natural e construído.
      O Lot 1, junto à Rue de Belvaux, manteve a mesma presença do edifício existente, que sofreu algumas alterações devido a algumas características devolutas. A estrutura foi mantida, inclusive o espaço comercial, criando apenas uma zona de passagem que atravessa a parte inferior do edifício. Esta passagem permite criar uma evidente transição do público para o privado. Todo o edificio é revestido com painéis fenólicos de cor clara, mantendo a continuidade tonal da rua mas contrastando com a textura presente, criando assim, maior destaque ao estreito edifício.
      Os espaços interiores são funcionais e adaptáveis a cada vivência. Os vãos e os materiais interiores aplicados permitem que o espaço se torne mais claro e amplo, criando uma ligeira ilusão no espaço. O uso de madeiras, pedra, metal e vidro combinam-se, proporcionando uma colagem única de padrões e texturas ricas.

      Respondendo às características específicas do lugar, o edifício, Lot 2, abre-se para o vazio, revelando uma paisagem intocada enquanto obscurece a sua envolvente urbana. A construção encontra-se absorvida pelo meio natural, transparecendo calma e serenidade. Os materias de revestimento exterior são idênticos ao Lot 1, mantendo a união entre ambos, apesar da separação física. Estes materiais são resistentes às variações de intempéries e não requerem de manutenção assídua. As coberturas são todas ajardinadas de modo a controlar a alteração de temperatura no interior bem como permitir a criação de um modo de camuflagem da arquitectura com os seus jardins.
      A organização do espaço é simplificada e funcional, através de um formato em “I”. Permite que haja fluidez interior e que ambos os patios, na parte de entrada e no tardoz, criem um elo e se unam ao espaço interior. Através de um conjunto de linhas direitas entramos num espaço de pertença, um espaço orgânico entre a arquitectura e a natureza.

  • Localização

    Esch-sur-Alzette, Luxemburgo

  • Área

    1920.80 m2

  • Serviços

    Arquitectura, Engenharia, Arquitectura Paisagista